segunda-feira, 24 de junho de 2013

Top 10 Madrid: Gran Vía - Edificio Metrópolis, Plaza de España e Templo de Debod

Talvez a segunda rua mais importante de Madrid, atrás apenas do corredor formado por Paseos de la Castellana, Recoletos e Prado, caminhar pela centenária Gran Vía é sentir um pouco da vida efervescente da cidade, formada por grandes lojas de departamentos, restaurantes, inúmeras casas de espetáculos, cinemas e teatros e trânsito frenético. Mas nem só de caos vive a Gran Vía.



Comece o passeio pelo principal centro comercial de Madrid pelo Edificio Metrópolis, localizado na esquina da Gran Vía com a Calle Alcalá, que divide com as Torres Kio (ou “Puerta de Europa”) o posto de principal cartão-postal da cidade. Construído em 1911 e inspirado na chamada “arquitetura eclética”, que mescla estilos do renascimento, barroco e neoclassicismo, base da escola parisiense de Belas Artes, caracterizada pelas linhas conservadoras com esculturas muito ornamentadas e imponentes, muito comuns no século 19. No topo do imponente edifício de 45 metros de altura e 6 andares está a cúpula de xisto preto com adornos dourados (resultado de 30 mil folhas de ouro de 24 quilates) e uma estátua da victoria alada no ponto mais alto. No último andar, existem 4 colunas com esculturas representando a mineração, agricultura, indústria e comércio. A iluminação noturna instalada nos últimos anos atrai turistas tornando-se uma das atrações mais procuradas e fotografadas pelos turistas à noite.



Em matéria de compras, lojas como H&M (número 32), Sephora (32), Zara (34) e Nike (38) atraem os apaixonados por compras, assim como o Museu del Jamón (número 72), uma mistura de bar e loja com decoração rústica e “patas de jamón” penduradas pelo salão, que atrai os curiosos e apaixonados pelo verdadeiro jamón espanhol. Para quem gosta de livros, um pouco abaixo da praça Callao fica uma das maiores filiais da rede de livrarias Casa del Libro, três andares que são passagem obrigatória para os amantes da leitura e da língua de Cervantes. Feche com chave de ouro seu roteiro de consumo na capital espanholas no El Corte Inglés, localizado na Plaza Callao, de longe o melhor lugar da cidade para estourar o limite do seu cartão de crédito. De comida a roupas, de eletrônicos a produtos de beleza, de vinhos a brinquedos, tudo pode ser comprado lá.

Site oficial: http://granvia.esmadrid.com/
Memorial "100 Anos de Gran Vía": http://granvia.memoriademadrid.es/home.php?accion=Proyecto
Plano Comercial: http://granvia.esmadrid.com/pdf/plano.pdf?1291300627
Guia de Compras: http://granvia.esmadrid.com/pdf/guia_compras.pdf?1291300627

Nosso próxima parada é a Plaza de España, uma das maiores praças da Espanha e um ponto de descanso em meio ao caos da Gran Vía. Porta de entrada para o Centro Histórico, contém um conjunto de esculturas que homenageiam o escritor Miguel de Cervantes, através de seu famoso personagem Dom Quixote, uma grande fonte e uma série de jardins, onde a oliveira é a planta predominante. No entorno, alguns dos mais altos e famosos prédios da cidade, como a Torre de Madrid (contruída em 1957, com 142 metros de altura), Edifício España (1953, caracterizado por sua silhueta escalonada em quatro alturas) e a Casa Gallardo (1911, um dos poucos exemplos da arquitetura modernista espanhola, com sacadas e detalhes florais).


Plaza de España com o Edifício España ao fundo


Casa Gallardo

Fiz questão de deixar o melhor para o final. Localizado no Parque del Oeste, a poucos passos da Plaza de España, o Templo de Debod é um templo original do antigo Egipto, construído no século II A.C. no reinado do faraó Ptolomeo IV e dedicado aos deuses Amón de Debod e Isis. Quando em meados do século XX o governo egípcio decidiu construir a barragem de Aswan, pediu à UNESCO que se encarregasse de oferecer a outras nações os templos que com a construção da barragem ficariam submersos pelas águas do Nilo: Dendur (Estados Unidos), Ellesiya (Italia), Taffa (Holanda) e Debod (España). O templo de Abu Simbel, construído pelo faraó Ramsés II, foi mantido no Egito. Foi transportado desmontado em blocos de pedra desde o Egipto, e aberto ao público em 1972. Como lembrança ao Rio Nilo, foi construído um pequeno lago em frente ao templo. De longe é o melhor pôr-do-sol da cidade.



Quanto custa e horário de funcionamento: Consulte aqui.
Internet: http://www.munimadrid.es/templodebod

1 comentários:

jow.. disse...

Realmente, o pôr-do-sol é incrível..
Vale muito a pena a ida ao Templo.

Postar um comentário

Pesquisar no Blog

Guias de Viagem


Álbuns de Fotos

Instagram


Anuncie no Viajante Comilão




Você gostou do blog? As dicas de viagens e reviews de restaurantes foram úteis para ajudá-lo(a) a planejar sua viagem?

O Viajante Comilão é um serviço 100% gratuito. Se você gostou do nosso serviço, ajude o blog a continuar seu trabalho: o link abaixo direciona para o site do PayPal, um serviço 100% seguro para que você possa fazer uma doação para o blog, usando seu cartão de crédito.

Contamos com sua contribuição. Obrigado!


Payments By PayPal