quarta-feira, 1 de agosto de 2012

São Paulo - 10 lugares imperdíveis para happy-hour



Cada vez mais o(a) paulistano(a) procura um bar para chamar de seu após o expediente. Encontrar os(as) amigos(as), desopilar o fígado, falar mal do(a) chefe, paquerar, ouvir música, fugir do rodízio e do trânsito pesado do horário de pico são apenas alguns itens da quase infinita lista de pretextos para explicar um sucesso de crítica e público da gastronomia paulistana: a happy-hour.

Veloso, Astor, Pirajá, Bar Brahma, Veríssimo, Salve Jorge, São Pedro São Paulo, Mercearia São Pedro, Original, Filial, Pandoro, Bar do Luiz Fernandes, Prainha, Frangó e Elídio Bar são alguns dos mais tradicionais bares da cidade, que encabeçam uma lista sem fim de estabelecimentos.

Se a demanda não para de crescer, a oferta não poderia ficar parada, de olho num mercado extremamente lucrativo e fiel – quase sempre a happy-hour preferida do(a) paulistano(a) é aquela bem pertinho do trabalho. Foi-se o tempo em que o sucesso de uma happy-hour dependia apenas de um bom chopp, algumas caipirinhas de frutas e meia dúzia de petiscos – os(as) clientes tornaram-se mais exigentes e seletivos(as), buscam cervejas premium, lugares para beber um bom vinho, clube do whisky, comida com qualidade de restaurante.

Gradualmente, as antes imbatíveis porções de fritas, polenta, calabresa e afins deram lugar a petiscos mais sofisticados, o que obrigou a modernização das cozinhas e um movimento constante de especialização (e valorização) dos profissionais. Hoje, a cozinha de um bom bar de happy-hour não perde em nada para a da maioria dos restaurantes da cidade.

Como bom paulistano, sou fã de happy-hour. Todavia, procuro fugir dos lugares de sempre, em busca de novos ambientes, cervejas artesanais, boa carta de vinhos, música de qualidade, ótimo custo/benefício. Como gourmandise, sou exigente no quesito comida – dou muito valor a lugares que preparam comidinhas que surpreendam. Volto e recomendo lugares que fisgam pelo estômago, onde a boa comida é marca registrada.

Este post busca destacar 10 dos meus lugares imperdíveis para happy-hour. Na lista, alguns achados, outros clássicos, em comum o esmero cuidado com a comida.

Vale dizer que a lista não é um ranking dos melhores de SP, embora acredito que muitos ocupam posição de destaque - apenas quero apresentar novas opções, novas experiências, novos sabores.

Chega de falar e vamos à lista:

Mocotó: O restaurante do chef Rodrigo Oliveira faz com que a região Norte de SP seja invejada por toda a cidade também pela sua happy-hour, repleta de petiscos criativos e inspirados na cozinha do nosso país, a preços bem camaradas. Ambiente simples, lembra um dos muitos pés-sujos da cidade - após a primeira mordida você entenderá o que tornou esta casa um dos maiores sucessos gastronômicos da cidade nos últimos anos. Entre os achados, dadinhos de tapioca (R$ 16,90), queijo de coalho com melado (R$ 26,90, 5 unid.), carne de panela (R$ 5,90), bolinho de feijão branco recheado com linguiça (R$ 24,90, 7 unid.), purê de mandioca recheado com queijo de cabra (R$ 19,90) e asinha de pintado (R$ 16,90) são alguns exemplares. Para beber, caipirinhas, coquetéis, cervejas artesanais e chopp Bamberg, mas o destaque está no clube de cachaça, com mais de 300 rótulos de 17 estados.


Dadinhos de tapioca, bolinhos de feijão branco (acima), purê de mandioca, carne de sol com alho e pimenta biquinho (meio), carne seca e baião-de-dois com farofa (abaixo).

Endereço: Av Nossa Senhora do Loreto, 1100, Vila Medeiros, (11) 2951-3056. Happy-hour das a partir das 18hs.
Internet: www.mocoto.com.br

All Black: O mais famoso pub da cidade faz bonito também na carta de comidinhas, muitas delas com uso de Guinness no preparo. Entre os acertos, filet mignon acebolado com molho à base de cerveja, bolinhas de carne cozidas na cerveja com molho de tomate e pesto, linguiça de cordeiro grelhada com molho de iogurte, asinhas de frango picantes, e os imperdíveis pastéis irlandeses com cerveja na massa, meus preferidos. No ambiente, bandeiras e camisas do time de rugby neozeolandês All Blacks decoram o bar, além da gigante TV (que vez ou outra passa jogos de rugby) e da tábua para dardos no salão dos fundos. Na carta de bebidas, Guinness (com destaque para o 100 Guinness Pint Club), as tostadas Old Speckled Hen e Newcastle Brown Ale, além de boa oferta de alemãs e belgas. Cobra entrada, mesmo na happy-hour - ligue antes, pois o preço muda dependendo das atrações musicais do dia.


Em sentido horário: ambiente, filet mignon acebolado, bolinhas de carne e os pastéis irlandeses.

Endereço: Rua Oscar Freire, 163, Jardins, (11) 3088-7990. Happy-hour a partir das 18hs.
Internet: www.allblack.com.br

Barbacoa: De dia, a filial do MorumbiShopping oferece um dos mais respeitados e cultuados cortes de carne da cidade, acompanhados pelo imperdível buffet de saladas da casa. À noite, muda de perfil para receber os engravatados da região com uma gostosa, variada e colorida mesa de petiscos (R$ 28,50) – são mais de 30 opções, dos tradicionais tira-gostos de boteco até os excelentes petiscos com a marca Barbacoa, como o mini hambúrguer de picanha, asinha de frango, linguiça apimentada e mussarela de búfala. Para beber, ótimas caipirinhas, cartas de vinhos (quase 200 rótulos) e de cervejas premium, com ótimas opções da Alemanha, República Tcheca, Austrália, Estados Unidos e Itália, além de algumas nacionais artesanais. O mais legal: se você consumir mais de R$ 28,50 em bebidas (algo fácil), o buffet sai de graça.


Fotos da mesa de petiscos e a ótima Coopers Sparkling Ale.

Endereço: Avenida Roque Petroni Júnior, 1089, (11) 5181-6898. Happy-hour das 17h30 às 20h30.
Internet: www.barbacoa.com.br

Outback: Com mais de 14 endereços na cidade, referência quando o assunto é costela, cebola gigante e batata frita, esconde verdadeiras preciosidades no cardápio de happy-hour, injustamente esquecidas: a espetacular Chook’N Dillas (quesadillas recheadas com tiras de frango, bacon, champignon e mix de queijos, acompanhadas de molho Honey Mustard, R$ 29,90), o viciante Wings, Ribs & Fries (combo com asinhas, costela e fritas, R$ 34,90) e o novo (e muito saboroso) Coral Sea Tizer (cortes de lula, pedaços de peixe empanado e fritas, com 2 molhos, R$ 36,90). Na carta de bebidas, o chopp Brahma bem tirado (para mim o melhor de SP), drinks, caipirinhas e vinhos em taça. Durante a "Billabong Hour", vale o sistema de “double drink”: peça qualquer bebida da carta (cerveja, vinho, drink, caipirinha) e ganhe outra.


Em sentido horário: (1) Wings, Ribs & Fries, (2) Chook’N Dillas, (3) Coral Sea Tizer, e (4) o chopp da casa.

Happy-hour das 18hs às 20hs.
Internet: www.outback.com.br

Sancho Bar y Tapas: Um autêntico bar de tapas espanhol numa das ruas mais ecléticas da cidade. No teto do bar, lindas peças de jamón serrano. Da cozinha do chef Paulo Chiarelli, que tem na bagagem o comando do Barrafina, considerado o melhor bar espanhol de Londres, saem tapas (pequenas porções) e pintxos (petiscos sobre fatias de pão) - dispostos no balcão, é só escolher, anotar e pegar (entre R$ 3 e R$ 5). Prove as versões de gorgonzola e nozes, jamón com ovo de codorna frito, salmão com cream cheese, e filet mignon com cogumelos. Entre as raciones (porções, de R$ 19 a R$ 24), destaques para pulpo à gallega, croquetas de paella e bolinhos de jamón. Para beber, vários rótulos de vinhos e cervejas importadas, chopp artesanal Bamber e Leuven, mas a estrela da casa é a sangria (R$ 25, 500ml), disponível nas versões tinta ou branca.



Endereço: Rua Augusta, 1.415, Consolação, (11) 3141-1956. Happy-hour a partir das 17h30.
Internet: www.sanchobarytapas.com.br

Bar do Amigo Gianotti: Versão boteco das cantinas do Bixiga. O lugar é uma atração turística - instalado numa casa datada de 1910, decorada com capacetes antigos, santinhos de Getúlio Vargas, camisa da Azurra da Copa de 2006 e até um jacaré empalhado. Faz a melhor fogazza da cidade, frita na hora, fartamente recheada e com 12 sabores (entre R$ 13,90 e R$ 19,90), que pode ser servida como petisco, cortada em pequenos pedaços.Valem a visita: mussarela com pepperoni, brócolis com alho e mussarela, frango com catupiry e mussarela com provolone e tomates. Entre as porções italianas, croquenotti (croquete com massa de nhoque e recheado com provole e parmesão) e bolinotti (bolinho de lingüiça calabresa curada com ricota, empanado com macarrão cabelo-de-anjo). Para beber, cervejas de garrafa - Skol, Brahma, Bohemia, Original, Serra Malte e a italiana Birra Moretti. Não aceita cartão de crédito.


Frente do bar, fogazzas e o octagenário Sr. Giannotti.

Endereço: Rua Santo Antônio, 1106, Bixiga, (11) 3211-3256. Happy-hour a partir das 19hs.
Internet: http://www.amigogiannotti.com.br/

Espetinho Mimi: A combinação happy-hour com espetinho é uma das minhas favoritas. Rede especializada na venda de artigos para churrasco, a filial da Mooca conta com um pequeno e agradável bar que faz um sucesso danado na terra do macarrão, assando centenas de espetinhos no fim de tarde. São quase 20 opções no cardápio, sendo as versões de carne bovina, linguiça suína, linguiça de frango e medalhão bovino com bacon as melhores. Preços entre R$ 3,50 e R$ 6. Foi um dos primeiros lugares na cidade a vender chopp Brahma Black, campeão de vendas. Poderia incluir no cardápio opções de cervejas especiais – certamente atrairia uma fatia de clientes mais seletivos (e dispostos a gastar mais).


Em sentido horário: linguiça de frango, mussarela, medalhão com bacon, carne.

Endereço: Avenida Paes de Barros, 2901, Mooca, (11) 2914-5540. Happy-hour a partir das 17hs.
Internet: mimimooca.com.br e www.churrascomimi.com.br/

Izakaya Kintaro: Botecão na Liberdade especializado em acepipes japoneses, com quase 20 anos de bons serviços. Ambiente pitoresco, tudo lembra sumô – cartazes, fotos de jogadores e tabela do campeonato japonês nas paredes, além de luta de sumô na TV. O atendimento é feito pelos filhos da matriarca, dois “sumotoris” de verdade. Não tem cardápio – as porções (quentes e frias) ficam dispostas no balcão, e variam diariamente. Para começar, as brazucas mini coxinhas de frango. Do cardápio japonês, kakiague (tempurá de camarão com legumes), carapau (peixe de sabor intenso) com vinagre e cebola, costelinha no missô, polvo com pepino, e bardana (uma planta oriental) com pimenta merecem repeteco de tão boas. Para acompanhar, garrafas quase trincando de Bohemia, Original e SerraMalte. Não aceita cartões.


Em sentido horário: carapau, mesa de acepipes, mix de petiscos e balcão.

Endereço: Rua Tomás Gonzaga, 57, Liberdade, (11) 3277-9124. Happy-hour a partir das 17h30.
Internet: barkintaro.blogspot.com

Tubaína: A receita de sucesso da happy-hour mais alegre do Baixo Augusta é simples: decoração que faz lembrar a casa da vovó, comidinhas de mãe, e tubaína, que certamente marcou a infância de quem tem, hoje, 30 anos ou mais. São mais de 20 rótulos da bebida (entre R$ 3,50 e R$ 10), de todos os lugares do Brasil. Na carta etílica, drinks nada tradicionais, em versões com tubaína e até biotônico fontoura, boa oferta de cervejas e caipirinhas, além do ótimo chopp Bamberg. Para petiscar, linguiça crioula (sequinha, com cebola roxa, pimenta dedo de moça, coentro, salsinha e pães), mandiopã, lanche de pernil, bolinhos de cuscuz recheados de frango e queijo, strogonoff de carne seca... Deixam qualquer adulto muito feliz! Preços entre R$ 25 e R$ 35. A casa trabalha com comanda individual, ótimo pra quem quer festejar em grupo, mas sem sofrer com a divisão da conta.


Em sentido horário: linguiça crioula, mandiopã, lanche de pernil e oferta de tubaínas da casa.

Endereço: Rua Haddock Lobo, 74, Consolação, (11) 3129-4930. Happy-hour a partir das 18hs.
Internet: http://www.tubainabar.com.br/

EAT...: “Monte sua própria happy-hour”, esta é a proposta desta casa recém-inaugurada na Vila Olímpia, misto de rotisserie, bar e restaurante. Para os engravatados da região, bom ambiente, ótimo atendimento e mesa de queijos e frios às quartas, quintas e sextas - coma à vontade por módicos R$ 19,90. Para quem preferir, tem cardápio com petiscos de boteco (as porções de costelinha de porco e  de pastéis variados – carne desfiada, palmito e queijo emmenthal com tomatinhos – valem a visita), com preços entre R$ 18 e R$ 28. Mas o mais legal é que você pode montar seu próprio cardápio: escolha queijos e frios no empório, pães da padaria (assinados por Rogério Shimura), conservas da rotisserie, bebidas no Wine & Beer Bar (mais de 300 rótulos de vinhos e 50 de cervejas, vendidos a preço de loja) e peça para servirem.


Beer Bar, Old Crafty Hen (acima), seleção de queijos e mesa de happy-hour (meio), porções de pastel e costelinha de porco (abaixo).

Endereço: Rua Cardoso de Melo, 1191, Vila Olímpia, (11) 5643-5353. Happy-hour a partir das 17h30.
Internet: www.emporioeat.com.br

1 comentários:

Giovanna Gaspari disse...

Ótimas dicas, fui só em alguns, como o mocotó, que é realmente muito bom, com comidas ótimas. Mas, como trabalho ali na Sé sempre vou ao Salve Jorge (http://www.locamob.com.br/salve-jorge/details) ótima pedida pro happy hour, cerveja sempre gelada, uma delícia.

Postar um comentário

Pesquisar no Blog

Guias de Viagem


Álbuns de Fotos

Instagram


Anuncie no Viajante Comilão




Você gostou do blog? As dicas de viagens e reviews de restaurantes foram úteis para ajudá-lo(a) a planejar sua viagem?

O Viajante Comilão é um serviço 100% gratuito. Se você gostou do nosso serviço, ajude o blog a continuar seu trabalho: o link abaixo direciona para o site do PayPal, um serviço 100% seguro para que você possa fazer uma doação para o blog, usando seu cartão de crédito.

Contamos com sua contribuição. Obrigado!


Payments By PayPal